Início / E-commerce

Dropshipping: o que é, como funciona e como usar no seu negócio

A imagem mostra um homem, de descendência indiana, sentado no chão, com um note book posicionado no colo. Na imagem, ele está de camiseta branca, camisa verde escura e jeans, e olha para um cartão de crédito, como se estivesse fazendo uma compra numa loja que usa dropshipping.

Empreender não é uma tarefa fácil, muito menos acontece sem custos – muitas vezes, alguns desses gastos são tão complexos que se tornam empecilhos para que um negócio aconteça.

No entanto, com o avanço da tecnologia, é possível eliminar alguns desses custos atuando em diferentes modelos de negócio. É o que acontece com o dropshipping, uma modalidade que permite que qualquer pessoa tenha uma loja online sem precisar ter um estoque próprio.

Se interessou? Então continue com a gente nos próximos parágrafos para saber mais sobre essa modalidade de negócio, como ela funciona e entender se ela faz sentido para você começar o seu negócio!

Seções: 

  • O que é dropshipping?
  • Como funciona o dropshipping?
  • Qual é a diferença entre dropshipping, marketplace e e-commerce? 
  • Quais são as principais vantagens do dropshipping?
  • E as principais desvantagens do dropshipping?
  • Como começar a trabalhar com dropshipping? 

O que é dropshipping? 

Antes de tudo, é importante saber o que exatamente significa dropshipping – termo em inglês que une as palavras “drop” (“largar”, em português) e “shipping” (“remessa”, em português). 

Juntas, porém, essas palavras se referem a um modelo de venda online que acontece sem que quem empreende precise ter um estoque próprio. No lugar disso, o que acontece é que quem empreende utiliza o estoque de terceiros para fazer o processo funcionar. 

No dropshipping, o site de quem vende é uma espécie de vitrine online, expondo produtos de diferentes fornecedores – e a função da sua loja é intermediar a relação entre fornecedor e cliente, sendo que logística e custos de entrega ficam a cargo do fornecedor. 

Como funciona o dropshipping? 

Para entender bem como funciona o dropshipping, talvez valha a pena fazer uma sequência de passos didáticos. Vamos lá? 

  1. Para começar, os clientes fazem pedidos em sua loja virtual, escolhendo o produto conforme o catálogo dos fornecedores com quem você tem parceria; 
  2. Como lojista, você deve enviar os pedidos e ordens de compra de clientes para os fornecedores, que vão faturar as encomendas. 
  3. A seguir, os fornecedores fazem as entregas diretamente aos clientes que fizeram pedidos no seu e-commerce. 

Como você pode perceber, você não precisa ter um estoque nessa modalidade de negócios, uma vez que as mercadorias vão do estoque dos parceiros diretamente para os clientes. 

Qual é a diferença entre dropshipping, marketplace e e-commerce? 

Muita gente confunde o sistema de dropshipping com outros modelos de negócios digitais, então antes de continuar, vamos explicar as principais diferenças entre cada um deles. 

Como já vimos, o dropshipping é uma maneira de vender online sem se preocupar com o estoque – cabe aos fornecedores entregarem os produtos diretamente para quem está comprando, sendo que quem empreende não precisa lidar com a logística. Aqui, basta ter um site ou loja virtual e cuidar do atendimento às pessoas consumidoras finais. 

Por outro lado, um e-commerce ou loja virtual envolve a necessidade de ter um estoque próprio, criando um site e cadastrando todos os produtos. Além disso, é necessário lidar com a logística de entrega – que pode ser feita por uma empresa parceira, como a Loggi. No final das contas, é a operação que mais se assemelha a uma loja física, mas no universo digital. 

Por fim, o marketplace é um shopping digital, reunindo diferentes fornecedores diferentes. Como pessoa que empreende, você pode vender seus produtos em marketplaces já existentes no mercado, como Amazon, Magalu ou Mercado Livre. Outra opção, bem mais difícil, é criar o seu próprio marketplace, reunindo produtos de diferentes fornecedores. 

Ao criar um marketplace, não é necessário cuidar de estoque e logística, que ficam a cargo de quem decidir vender pela sua plataforma. É uma ideia que permite uma rentabilidade interessante, mas é preciso investir bastante na atração de compradores e vendedores. 

Quais são as principais vantagens do dropshipping? 

Agora que você já sabe como funciona o dropshipping e outros modelos de negócios parecidos, mas cheios de diferenças, vamos citar aqui as principais vantagens desse modelo. 

  • Permite empreender de forma simples e prática; 
  • Não demanda preocupação com logística de entrega; 
  • Não precisa de gerenciamento de estoque; 
  • Não demanda capital de giro para compra de estoque; 
  • Trocas e devoluções ficam a cargo do fornecedor; 
  • Fácil de ser adotada por quem está começando a empreender. 
  • Foco em ter site ou redes sociais e ter contato com fabricantes de qualidade; 
  • Possibilidade de ter vasta variedade de artigos;
  • Permite o trabalho remoto; 
  • Pode atender clientes em todo o país, e, dependendo, até mesmo fora do Brasil. 

E as principais desvantagens do dropshipping? 

Assim como todo modelo econômico, o dropshipping também apresenta diferentes riscos e desvantagens – e é importante que você esteja ciente deles antes de decidir empreender nesse sistema. Vamos aos pontos fracos do dropshipping? 

  • Modelo de baixa rentabilidade, baseado em comissões;
  • Necessidade de vender abundantemente; 
  • Alta competitividade com lojas parecidas; 
  • Falta de controle e rastreamento com envio das mercadorias; 
  • Riscos de imagem junto ao consumidor caso haja erros na entrega; 
  • Risco de erros quanto a quantidades em estoque dos fornecedores. 

Como começar a trabalhar com dropshipping?

Para quem está pensando em trabalhar com o modelo de dropshipping, seguir alguns passos importantes podem ajudar na hora de construir esse tipo de negócio. Vamos a eles: 

  1. Definir nicho de mercado, a fim de evitar enorme competitividade; 
  2. Escolher bons fornecedores, com produtos interessantes e cuidado com prazos; 
  3. Crie um site para sua loja virtual, usando ferramentas como Wix ou Shopify; 
  4. Adicione produtos com cuidado e comece a realizar as vendas; 
  5. Invista em divulgação e marketing digital pensando no seu público-alvo. 
  6. Tome cuidado com o pós-venda, acompanhando as entregas. 

Afinal de contas, lembre-se que, apesar de você não ser responsável pela entrega, ainda assim sua imagem poderá ser afetada caso haja algum problema com os produtos vendidos pela sua loja. 

E se você precisar de ajuda para fazer uma boa descrição de produtos, aqui temos um tutorial pronto para te ajudar. 

Para terminar, vale ainda acrescentar algumas dicas importantes que podem mudar sua loja baseada em dropshipping de patamar. 

A primeira delas é usar fotos de qualidade para os produtos que entrarem no seu site – vale tanto pedir para o fabricante quanto solicitar uma amostra das peças para você tirar essas fotos por conta própria. 

Outro ponto importante é tomar cuidado com fraudes, prestando atenção se os clientes receberam de fato itens que correspondem à qualidade que você combinou com fornecedores. Além disso, preste atenção em sites como ReclameAqui para não cair em ciladas. 

Por fim, não se esqueça de criar duas páginas bem importantes dentro do seu site: “Quem Somos” e “Perguntas Frequentes”. Por meio delas, você deve inserir informações relevantes para explicar seu modelo de negócios de maneira transparente, ajudando quem está comprando a ter um bom atendimento. 

Quer saber mais sobre como elevar sua loja online? No LoggiConteúdos temos uma seção exclusiva sobre empreendedorismo, que traz dicas sobre como aproveitar datas comerciais, formas de se conectar com seu público e quais as melhores práticas para quem quer começar na venda online.

Loggi
A equipe de redação do blog Loggi é um time dinâmico que explora os meandros da logística, e-commerce e gestão. Com habilidades diversas, cada escritor contribui para contar histórias envolventes sobre transporte, inovação e estratégias empresariais. Juntos, compartilhamos a visão da Loggi de transformar a experiência logística no Brasil.
Compartilhar: