Início / E-commerce

O que é necessário para vender na Amazon

A imagem mostra uma mulher branca, loira, de cabelos amarrados. Ela está sentada em uma cama, mexendo em pacotes. Uma alusão a um momento em que uma pessoa empreendedora se organiza para vender na Amazon.

Uma das maiores empresas de tecnologia do mundo, a Amazon tem como um de seus negócios principais uma loja online cheia de categorias e produtos. Mas além de vender itens por conta própria, a empresa criada por Jeff Bezos também permite que lojistas de quaisquer tamanhos ofereçam seus produtos no site – que aqui no Brasil é o amazon.com.br. 

Vender itens na Amazon não é só uma opção qualquer para quem tem um pequeno negócio online. Mais que isso: é talvez um dos lugares mais importantes para oferecer seus produtos. Duvida? Uma pesquisa recente da Nielsen IQ Ebit Brasil mostrou que o site foi o principal e-commerce na mente dos brasileiros por três anos seguidos. 

É o tipo de lugar que vale a pena não ignorar. Para você saber bem como vender na Amazon, preparamos este guia, que vai te explicar tudo passo a passo – do cadastro inicial até a lista de produtos, passando pelas vantagens de oferecer seus itens na maior varejista do mundo. Vamos lá? 

Seções

  • O que é a Amazon?
  • Quem pode vender na Amazon? 
  • Quais os planos disponíveis para quem quiser vender na Amazon? 
  • Como se cadastrar na Amazon para vender? 
  • Como cadastrar um produto na Amazon? 
  • Que produtos se pode vender na Amazon? 
  • Quanto custa vender na Amazon? 
  • Como funciona o envio de produtos na Amazon? 
  • Quais são as vantagens de vender na Amazon? 

O que é a Amazon? 

Avaliada em mais de US$ 1 trilhão (é isso mesmo!), a Amazon é a maior varejista online do mundo, com mais de 300 milhões de clientes. Fundada em 1994, a empresa nasceu como um e-commerce de livros, mas rapidamente se expandiu para outros negócios. Desde 2000, ela também permite que negócios terceiros vendam produtos em sua plataforma – hoje, são mais de 1,9 milhões de parceiros cadastrados no mundo. 

Além de ser referência como marketplace, a Amazon também atua em diferentes mercados. Entre eles, é possível citar: 

  • o setor de plataformas de streaming de vídeo (Prime Video); 
  • computação em nuvem (Amazon Web Services); 
  • eletrônicos de consumo (Kindle e Fire TV Stick); 
  • entre muitos outros. 

No Brasil, a Amazon atua há diversos anos, mas começou a oferecer a possibilidade de marketplace desde 2014, concorrendo com plataformas como MercadoLivre e Magazine Luiza. É um canal de venda importante, que precisa fazer parte da sua estratégia como lojista.

Quem pode vender na Amazon? 

Praticamente qualquer pessoa é capaz de vender na Amazon, mesmo que não tenha CNPJ. São necessários poucos documentos para fazer um cadastro e começar a vender. 

Para criar uma conta de vendedor, é preciso apenas ter um CPF ou CNPJ, uma conta de e-mail, uma conta bancária e um cartão de crédito válido para que a Amazon possa verificar que a sua conta é real. 

Quais os planos disponíveis para quem quiser vender na Amazon? 

Para começar a vender pela Amazon, é preciso entender os planos disponíveis para quem quiser vender na plataforma. Essa decisão é importante porque interfere diretamente no cadastro (e é por isso que estamos falando dela logo no começo do texto!). 

Hoje, há duas opções disponíveis. 

Plano Individual

O plano individual está disponível para pessoas físicas, que fazem o cadastro usando seu CPF. É uma boa opção para quem quer vender na Amazon de forma pontual, realizando até 10 vendas por mês.  Nesse plano, quem vende tem apenas recursos básicos: 

  • suporte ao vendedor por meio da equipe de apoio; 
  • treinamentos gratuitos para começar a vender; 
  • recebimento à vista por compras parceladas; 
  • adição de novos produtos ao catálogo da Amazon. 

Nessa opção, não existe uma tarifa de assinatura mensal, mas há um custo fixo de R$ 2 por produto vendido, além de uma comissão que pode variar de 8% a 15% do valor do produto, dependendo da categoria em que ele se encaixa. 

Plano Profissional

O plano profissional, como o nome diz, é a melhor opção para quem pretende usar a plataforma para vender de maneira intensa. Nele, o cadastro é feito usando um CNPJ – o que pode incluir microempreendedores individuais, além de pequenas, médias e grandes empresas. 

Nessa categoria, o lojista tem acesso aos recursos do plano individual, além de ferramentas avançadas como: 

  • integradores para facilitar a gestão; 
  • acesso ao programa de logística da Amazon; 
  • elegibilidade para estar na área de ofertas do site; 
  • ferramentas para criar anúncios e promoções; 
  • importação de produtos em massa; 
  • autonomia para defender condições e taxas de envio para cada item; 
  • planilhas, folhas de cálculo e relatório de suas vendas; 
  • gestão de todos os pedidos numa única conta. 

Para usar o plano profissional, é preciso pagar uma assinatura mensal de R$ 19, além de uma comissão que varia conforme o valor da venda. Por outro lado, não há uma cobrança de taxa para cada produto vendido, como ocorre no plano individual. 

Precisa ser MEI para vender na Amazon?

Não precisa. É possível vender na Amazon sendo pessoa física, mas é preciso observar se essa opção é a que mais faz sentido para o seu negócio, considerando os planos disponíveis na plataforma. 

Tem que emitir nota fiscal para vender na Amazon?

Não necessariamente. É possível vender na varejista sendo pessoa física, mas cabe a cada lojista entender se essa é a melhor alternativa para o seu negócio. 

Como se cadastrar na Amazon para vender? 

Após entender qual plano é o melhor para o seu negócio, é hora de se cadastrar na central de vendedor da Amazon – chamada pela empresa de Seller Central (“central do vendedor”, em português). 

Para isso, o primeiro passo é acessar a página Venda na Amazon

No site, é possível encontrar informações simples sobre como funciona o marketplace da empresa e um botão com a mensagem “comece a vender”. Ao clicar nele, você começa a preencher seu cadastro, incluindo dados e documentos como: 

  • nome; 
  • e-mail; 
  • RG ou identidade; 
  • declaração do banco ou cartão de crédito recente; 
  • cartão de crédito ou débito para cobrança; 
  • telefone para contato. 

Não são os únicos dados que você precisará incluir para vender na Amazon. Numa etapa seguinte do cadastro, a plataforma pode solicitar dados como: 

  • tipo de negócio; 
  • razão social ou nome da pessoa titular da conta; 
  • CPF ou CNPJ; 
  • endereço registrado; 
  • conta bancária; 
  • cartão de crédito ou débito; 
  • países em que se deseja vender (apenas para conta profissional). 

Após preencher esses dados, porém, seu cadastro estará finalizado e você poderá passar a cadastrar seus produtos na loja. 

Como cadastrar um produto na Amazon?

Para publicar um produto e começar a vendê-lo na Amazon, há três opções. Vamos a elas: 

  • Cadastro manual: usando a ferramenta interativa da Amazon, você pode criar um anúncio por vez; 
  • Cadastro via planilha: disponível apenas para quem tem o Plano Profissional, permite criar vários anúncios de uma vez, ideal para quem tem um inventário grande; 
  • Cadastro via integração: para quem vende produtos em mais de um marketplace ou já tem loja virtual, é possível usar ferramentas para fazer a gestão das vendas de maneira integrada. 

Que produtos se pode vender na Amazon? 

Existem inúmeros produtos que podem ser vendidos na Amazon – são mais de 35 categorias de itens para venda, embora algumas demandem aprovação da plataforma caso você queira vender produtos nelas. As categorias livres são as seguintes: 

  • Brinquedos e jogos;
  • Calçados e bolsas;
  • Roupas;
  • Itens de jardinagem;
  • Produtos de atividade ao ar livre;
  • Casa e cozinha;
  • Celulares;
  • Câmeras;
  • Computadores;
  • Eletrônicos;
  • Materiais de construção;
  • Esportes;
  • Joias;
  • Acessórios de viagem;
  • Papelaria;
  • Livros;
  • Discos e itens de música;
  • Instrumentos musicais; 
  • Relógios;
  • Pet shop;
  • Produtos automotivos, entre outras.

Já as categorias cujos produtos demandam aprovação são:

  • Saúde e cuidados pessoais;
  • Produtos para bebês;
  • Alimentos e bebidas;
  • Games;
  • Beleza.

Quanto custa vender na Amazon: entenda a política de comissões da empresa

Ao contrário do que acontece em outras plataformas, vender na Amazon tem um custo. Para começar, a plataforma cobra taxas de quem deseja vender no seu marketplace, a variar quanto ao plano escolhido: 

  • Plano Individual: R$ 2 por item vendido;
  • Plano Profissional: assinatura mensal de R$ 19. 

Perceba que se você vender mais de 10 itens no plano individual, vale a pena considerar trocar seu plano para o profissional. 

Além da taxa fixa, a Amazon cobra ainda uma comissão para cada item vendido, num custo que pode variar entre 8% e 15% do preço de venda, conforme a categoria do produto. A comissão mínima cobrada pela plataforma é de R$ 1. 

Para conferir a lista completa por categoria, basta visitar o site

Como funciona o envio de produtos na Amazon? 

Além do custo das comissões, outro fator que é preciso ser considerado para quem está pensando em vender na Amazon é o envio dos produtos – e os custos dos programas logísticos variam conforme a categoria escolhida. Ao todo, são quatro modalidades diferentes:

  • FBA – Logística da Amazon; 
  • FBA Onsite – Logística da Amazon;
  • DBA – Delivery by Amazon.
  • envio por conta própria do vendedor. 

Vamos falar de cada uma delas agora, mas você já pode consultar as tarifas específicas de envio no site da Amazon

FBA – Logística da Amazon

Nesse formato, a Amazon se encarrega do armazenamento, do envio, das devoluções e do atendimento ao cliente no que diz respeito à logística. 

Há diversas taxas cobradas pela plataforma no caso dessa modalidade: tem tarifa de logística, de coleta, de remoção de inventário, de armazenagem de inventário, e de armazenagem de inventário a longo prazo. 

FBA Onsite – Logística da Amazon

Neste outro formato, a Amazon se encarrega de envios, devoluções e do atendimento ao cliente, mas cabe a quem está vendendo armazenar seus produtos. 

Para usar o FBA Onsite, é preciso pagar tarifa de logística por unidade e tarifa de tecnologia; tarifa para agenciar o serviço de transporte do vendedor e da transportadora; e por fim, tarifa de tecnologia por usar o WMS. 

DBA – Delivery by Amazon

Nesta modalidade, a Amazon entrega os produtos aos clientes, mas tarefas como armazenamento, venda, embalagem e atendimento aos clientes. 

Aqui, cabe a quem vende pagar apenas uma tarifa pelo envio unitário, que varia de acordo com fatores como o preço do produto, a faixa de peso do produto, a localização do vendedor parceiro, classificada por área geográfica (zonas 1 e 2) e o estado de origem do envio.

Logística do vendedor

Nessa última modalidade, o vendedor é responsável pela entrega do produto e do valor cobrado pelo frete. No entanto, vale o aviso: vendedores do plano profissional podem definir suas próprias taxas de envio, enquanto os do plano individual precisam obedecer a uma tabela de frete da própria Amazon. Além disso, a Amazon cobra uma taxa de indicação pela venda. 

Dá para vender na Amazon sem ter estoque próprio? 

Sim, basta usar o FBA – Logística da Amazon, uma das modalidades disponíveis para quem deseja vender na plataforma. Dá para entender melhor como isso funciona no site da empresa

É possível vender na Amazon como afiliado? 

Sim, mas para faturar com comissões de vendas de produtos na Amazon, é preciso acessar outro programa de vendas – o Associados Amazon. Para entender como o programa funcione, acesse o site específico

Quais são as vantagens de vender produtos na Amazon? 

Existem diversas vantagens para quem quiser vender produtos na Amazon. Entre elas, podemos citar: 

  • alta visibilidade, considerando o tamanho da Amazon; 
  • possibilidade de realizar vendas internacionais; 
  • uso de dropshipping (venda sem estoque); 
  • possibilidade de fazer gestão unificada; 
  • repasse gratuito dos valores, mesmo em compras parceladas; entre outros. 

Agora que você tem todas as informações necessárias, quando iniciar suas vendas na Amazon, não esqueça de garantir a entrega com a Loggi.

Loggi
A equipe de redação do blog Loggi é um time dinâmico que explora os meandros da logística, e-commerce e gestão. Com habilidades diversas, cada escritor contribui para contar histórias envolventes sobre transporte, inovação e estratégias empresariais. Juntos, compartilhamos a visão da Loggi de transformar a experiência logística no Brasil.
Compartilhar: